Sumário:

- De olho na manutenção

- Táxi Cultura

A hora e a vez da tecnologia
Serviços e acessórios aumentam a produtividade do setor e a qualidade de vida dos profissionais e passageiros.

Por Pedro Junqueira

Responsáveis por um ser-viço fundamental para a vida da cidade, que a cada dia tem nos táxis uma alternativa mais viável para o transporte público, o segmento taxista está em pleno processo de transformação. Nessa trajetória de evolução permanente, a tecnologia passa a ser um elemento fundamental dentro da categoria.

Dona de uma das frotas mais modernas e bem cuidadas do mundo, a frota paulistana apresenta uma média de renovação de carros estimada em torno de dois anos. Junto com isso, o setor vai se sofisticando e buscando novas alternativas, tanto para aprimorar o conforto e o atendimento do passageiro, como para obter uma gestão moderna e profissional para o negócio.

Gestão de frotas

Garantir que o táxi se torne um negócio rentá-vel e viável é um desafio que exige um cuidado e atenção permanentes. No caso das empresas e cooperativas, além de um bom carro, com uma manutenção adequada e combustível de qualidade, o sistema de gestão é um elo fundamental para garantir uma prestação de serviço com alto nível de excelência e consequente sucesso no empreendimento.

Nesse universo crescem as empresas de tecnologia, que vem desenvolvendo softwares capazes de oferecer o melhor custo x benefício para o segmento. Utilizando avançadas plataformas de trabalho, os novos sistemas têm como foco proporcionar uma maior funcionalidade e maximizar os resultados.

Para Jorge Martins, diretor comercial da Orbital Sistemas esse processo é irreversível. “Falar em rádio táxi sem sistema de despacho é como falar de uma empresa sem internet ou sem conta de e-mails. Hoje, nossos clientes, trouxeram a frota para dentro da empresa e assim podemos consi-derar que cada taxista está conectado na mesma rede”, avalia o executivo.

A busca pela funcionalidade

Entre as principais vantagens que um sistema de gestão de frotas deve oferecer, Martins destaca a capacidade de identificar quais veículos estão mais próximos para atender um passageiro e qual é a disponibilidade para corridas. “O sistema possibilita saber quantos carros estão on-line, isto é, quantos carros estão trabalhando, onde e há quanto tempo. Estas são informações que, até recentemente, nossos clientes nem imaginavam poder contar” relata.

Outro representante do setor, Roberto Nakamura, da Sim Rastreamento, enfatiza a importância para as empresas de poder contar com um sistema capaz de gerar relatórios gerenciais de rotas percorridas, velocidade e criação de cercas de raio. “Graças ao uso de tecnologia GSM, o monitoramento pode ser realizado em qualquer local onde houver cobertura de telefones celulares, garantindo segurança, agilidade e redução de custos para o taxista”, informa Nakamura. “Além disso, investimos em segurança e somos capazes de bloquear e localizar o veículo em caso de furto ou roubo, facilitando a recuperação pela polícia”, afiança.

O máximo em integração e serviços

Alcançar o máximo de integração entre todos os sistemas utilizados dentro de uma empresa ou cooperativa de táxi é outro problema que reclama solução dos estrategistas em tecnologia. Segundo Edgar Coronatto, diretor de operações da Clarity Soft, empresa especialista no desenvolvimento de softwares de gestão, é fundamental que o profissional e o empresário do segmento taxista possam contar com uma solução completa.

“É preciso uma estrutura capaz de englobar um sistema financeiro, despacho de corridas, módulo gerencial, monitoramento e até mesmo telefonia, tudo integrado. Somente desta forma, poderá haver um ganho significativo em toda a sua operação e gestão”, enfatiza Coronatto.

Palavra de quem sabe

Segundo Pedro Eyler, diretor presidente da Táxi Pontual, da cidade do Rio de Janeiro, o investimento em tecnologia foi um fator fundamental para que a empresa superasse uma situação de estagnação que enfrentava há tempos. “Além do ganho real, a troca do rádio pelo novo sistema - como veículo de comunicação entre o táxi e a central - acabou com todos os problemas corriqueiros”, relata o empresário.

Eyler destaca ainda uma fundamental melhoria na qualidade de trabalho dos motoristas, graças à agilidade oferecida pela nova estrutura. “Hoje muitos motoristas decidiram trabalhar pelo menos três horas a menos sem comprometer sua renda, outros, decidiram aumentar ainda mais seus ganhos, isso graças à capacidade e agilidade no envio das corridas e a rapidez operacional”.



De olho no Futuro

O executivo da Clarity Soft Edgar Coronatto se anima ao falar do grande número de inovações e lançamentos que o setor prepara para os próximos meses. “Ainda em 2010, colocaremos no mercado o pedido e acompanhamento do taxi via celular. Para o primeiro trimestre de 2011, serão lançadas três novas opções de terminais de dados para o taxista e também um sistema ainda mais avançado de atendimento eletrônico via telefone. A idéia é revolucionar o segmento”, comemora Coronatto.

Seguindo o mesmo caminho, a Orbital também promete novidades para dinamizar ainda mais o setor. “Ainda esse ano disponibilizaremos o Teclado para Boleto Eletrônico. Este teclado com visor permitirá ao passageiro confirmar o valor da corrida e a utilização do serviço digitando sua senha. Isto representará enorme economia e agilidade no processamento das cobranças e também comodidade aos motoristas eliminando a necessidade de visitas para entrega dos atuais boletos de papel”.

Para o próximo ano o representante da Orbital anuncia ainda a inclusão, nos mapas do escritório e também nos táxis, de informações de trânsito, capazes oferecer a rota mais rápida nos horários de congestionamento. “É um trabalho realizado em parceria com empresas de mapas, para solucionar esse que é o problema da maioria das rádio táxis que já superaram as questões de despachos e informações para os clientes”.

Conforto e qualidade para todos

Para além do processo de gerenciamento de frotas, o trabalho no táxi coloca diversos outros desafios para o motorista. Com uma jornada de trabalho que pode chegar até a dezesseis horas, investir em equipamentos capazes de oferecer um pouco mais de conforto para o motorista e para o passageiro - como geladeiras, frigobar, GPS com DVDS - não é mais luxo, mas terminou por se tornar uma necessidade.

Atenta a esse movimento do mercado a gigante americana Black&Decker tem intensificado o desenvolvimento de equipamentos capazes de atender com qualidade o setor automotivo, particularmente o segmento de táxis. Segundo Antônio Gonçalvez, gerente de marketing da empresa, além de conforto, o motorista passa a contar com ferramentas que agregam tecnologia e praticidade na rotina de trabalho.

“Mais do que carregador de bateria que conecta e dá carga, esses equipamentos têm a capacidade de estudar a bateria do veículo para estabelecer a melhor utilização de todo o seu potencial. A geladeira, por exemplo, não vai acabar com a bateria do táxi, pois é capaz de perceber quando está baixa e desliga automaticamente”, explica o executivo.

Trabalhando no ponto localizado defronte à IBM, na Rua Tutóia, o motorista Luiz Antônio dos Santos aderiu à nova onda tecnológica e tem colhido bons resultados. “Entre outros equipamentos eu tenho um GPS com DVD, além de geladeira e frigobar. As pessoas ficam curiosas ao verem o equipamento e se surpreendem quando digo que é um frigobar para os passageiros. Todos me elogiam e parabenizam por essa inovação e conforto. Muitas pessoas não têm tempo de nem tomar uma água, de tão corrido que é o dia a dia”, relata.

Além de comemorar algumas gorjetas que recebe pela qualidade do serviço, Santos ressalta que a iniciativa tem sido responsável pela conquista de clientes fiéis. “Sempre dizem - ‘nunca peguei um táxi como o seu’. Em seguida pedem o meu cartão e quando precisam me ligam”, finaliza.



IR PARA O SUMÁRIO DO SUPLEMENTO

IR PARA O SUMÁRIO DESTA EDIÇÃO

PÁGINA INICIAL